quarta-feira, 29 de julho de 2009

Nem para o céu!!!!

Nota da Folha e publicado pelo site www.ne.noticias.com.br

Tudo menos isso
Em tempos de turbulência no Senado, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), foi convidado por uma rádio, na semana passada, para participar de um debate representando a oposição.
O tucano topou a entrevista, mas, quando já se preparava para bombardear o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), a produção avisou que, do outro lado da linha, estava Almeida Lima (PMDB-SE), famoso pelos discursos longos e veementes em defesa tanto de Sarney quanto, no passado, de Renan Calheiros (PMDB-AL).
O tucano não hesitou:
-Cancela, cancela! Com ele eu não vou nem para o céu!

terça-feira, 28 de julho de 2009

Outra versão ou direito de resposta II

Sobre os argumentos da necessidade de mais divulgação, não há dúvidas de que quanto mais informação melhor. Mas nunca é demais lembrar que os interesses comerciais e políticos dos veículos de comunicação tradicionais de que o governo tanto fala, muitas vezes servem de prática de setores do próprio governo para tentar pressionar veículos com fábulas de publicidade.
O endereço é e-sergipe.wordpress.com

Outra versão ou direito de resposta I

O Governo de Sergipe criou uma ferramenta para, segundo a própria secretaria, servir de contraponto às divulgações feitas pela imprensa de Sergipe. O nome do blog é ‘Outra versão’. Explicação do governo: ..." É mais uma forma que o Governo de Sergipe encontra de estreitar sua relação com os cidadãos, sem o filtro dos interesses comerciais e políticos dos veículos de comunicação tradicionais". As primeiras postagens já podem ser vistas. Há comentários sobre reportagem veiculada pelo Jornal Correio de Sergipe. É sobre a obra da barragem do Jabiberi, em Tobias Barreto que segundo a matéria atormentava os moradores do município há mais de 20 anos. Sem sistema de abastecimento próprio, os moradores dependiam do abastecimento de água vindo da Bahia. O governo desmentiu a informação.

sábado, 25 de julho de 2009

Tem audiência, sim senhor!!!

De um locutor de rádio fazendo reportagem sobre a greve dos servidores do Cenam - Centro de Atendimento ao Menor em Sergipe. O funcionário não queria dar entrevista com medo de represália do governo. O locutor solta o argumento: "...pode falar, não tem importância, não, é rádio e ninguém está vendo você". Deu certo, o repórter conseguiu a entrevista mas logo depois o locutor que estava no estúdio tratou de emendar: "epa, tem muita gente vendo sim, são pelo menos 80 mil pessoas que nos acompanham todos os dias das 6 às 9 da manhã. Ou seja: não entendeu nada. A intenção do repórter foi tranquilizar o funcionário já que seria mais difícil a identificação já que não seria televisão.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Confiança não tem preço


O jornalista americano Walter Cronkite, um dos âncoras de maior prestígio da TV americana, morreu nesta sexta-feira (17), aos 92 anos. Segundo a emissora CBS, a família informou que Cronkite lutava contra uma doença vascular no cérebro havia sete meses.
Conhecido como “o homem mais confiável da América” e lembrado em diversas pesquisas como um dos jornalistas de maior credibilidade nos Estados Unidos, ele apresentou telejornais na CBS entre os anos de 1962 e 1981. Cronkite participou das coberturas de importantes fatos históricos, como o assassinato do presidente John Kennedy, a guerra do Vietnã, o escândalo de Watergate e a chegada do homem à Lua. Cronkite foi considerado o expoente máximo de uma época na qual a figura do âncora acumulava salários milionários, determinava o noticiário emitindo opiniões, e monopolizava os grandes eventos, além de influenciar na maneira como o americano deveria pensar. O modelo combinado de apresentador e editor-chefe de telejornais ainda é referência não só no Estados Unidos como em vários países, inclusive o Brasil.

O texto é do portal G1

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Verde que te quero verde!!!


De um repórter de rádio filosofando sobre o esforço que o time do Confiança (Sergipe), teria que fazer para ganhar a partida contra o Asa de Arapiraca ( Alagoas) : "...é, literalmente os jogadores terão que comer grama" Acho que é por isso que os estádios andam tão esburacados!!!!!

terça-feira, 14 de julho de 2009


"Nunca escreva com raiva. A raiva deve ser oral, deve ser dita e não escrita. Raiva é para dizer palavrão"

Monteiro Lobato

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Alguém nasce velho II

Bem lembrado pelo meu amigo jornalista Gilson Sousa sobre a postagem "Alguém nasce velho??
Nasce sim, no filme O curioso caso de Benjamim Button...Valeu!!!!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Alguém nasce velho??

Pipocaram na semana passada as notícias do nascimento do filho do governador de Sergipe, Marcelo Déda. A maioria optou pelo texto: " nasceu o filho mais novo de Marcelo Déda..." "Nasceu o mais novo rebento do governador.. Ora, ora, ora, quem já viu nascer alguém que não seja novo???

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Perdeu a credibilidade. A pose, nem tanto


A Revista Veja on line está destacando esta semana uma entrevista interessante com o apresentador Gugu Liberato, do SBT, que assinou contrato com a Record. Como é costumeiro em alguns profissionais do ramo, saiu falando mal da emissora onde trabalhou (já andou propalando por ai que não "era mais importante para o SBT"). Como é sabido, sua derrapada no episódio do PCC custou muito caro. Perdeu audiência e credibilidade. Quem comete um desrespeito daquele com o público não merece respeito (e nem audiência) de ninguém.

Veja um trecho que achei interessante:


Revista Veja - No começo da década, o senhor batia a Globo no ibope. Por que seu desempenho nunca mais foi o mesmo?

Gugu Liberato - O desempenho de um programa reflete a situação da emissora em determinado período. Nos tempos em que batíamos o Faustão, o SBT também tinha outros grandes sucessos: Show do Milhão, Chiquititas. Quando a média geral da emissora é alta, todos os programas acompanham essa tendência. Quando a audiência do SBT caiu, nós sofremos com isso. É natural.


RV - Então a culpa da queda de audiência de seu programa não foi sua, e sim do SBT?

GL - Não só do SBT. Mas a gente sofre as conseqüências da situação da emissora. Eu costumo dizer o seguinte: dar ibope na Globo é muito fácil. Muito mesmo. Porque a média geral da Globo é imensa. Pode ver: a Globo dá 30 pontos de ibope no horário eleitoral e, se está fora do ar por problemas técnicos, ainda registra 15. Difícil é dar audiência fora da Globo. Naquele período em que estávamos com grandes números em cima do Faustão, é porque o SBT como um todo estava bem. Em televisão, você não faz milagre sozinho.


RV - O SBT perdeu o rumo?

GL - Eu não chegaria tão longe. O SBT é um avião muito potente. É claro que, num momento de turbulência como agora, alguém precisa segurar o manche desse avião com força. Não existe no SBT ninguém mais capaz de fazer isso do que o próprio Silvio Santos. Ele é de uma inteligência incomparável como ser humano, artista e empresário.


RV - Silvio é um patrão difícil?

GL - Nem um pouco. São 35 anos de convivência, posso afirmar isso com segurança. Metódico demais, talvez. Difícil, não.


RV - Sua moral foi ao fundo do poço com o caso da falsa reportagem sobre o PCC, em 2003. Como é conviver com essa mácula do passado?

GL - Ora, veja: eu não estava lá no momento daquela entrevista. E quem fez a reportagem jura até hoje que aquelas figuras eram realmente do PCC. Quando tive de depor, dois anos depois, eu fui à delegacia dirigindo meu carro. Os demais envolvidos foram escoltados porque estavam presos por outros delitos. Então, levanto a pergunta: como se prova se eles eram ou não do PCC? Tem de mostrar carteirinha? É impossível saber ao certo. Mas a imprensa martelou o caso durante dois meses em função da audiência que tínhamos naquela época.