quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O rádio perde Luciano Alves

Da esquerda para a direita, em 1970, no Prêmio Bola de Ouro: Luiz Mendes e sua esposa Daisy Lucidi, Luciano Alves, da Rádio Globo, e Armando Lousada (ator de rádio).

Morreu nesta quinta-feira, 29, em Aracaju, Sergipe, o radialista, Luciano Alves, 67 anos. Ele foi fundador da Rádio Cultura e trabalhou nas rádios Atalaia e Tupy. Luciano foi uma das vozes mais importantes da Rádio Globo, do Rio de Janeiro. Em Sergipe os veículos demoraram a dar a notícia e no velório, Luciano não teve a presença de colegas de rádio. Até porque foi tudo muito rápido! Eu que tive oportunidade de trabalhar com ele na rádio atalaia AM, pude acompanhar o trabalho dessa fera do microfone e aprender que rádio merece sim padrão de qualidade. De um estilo inconfundível e um jeito de assustar qualquer calouro na carreira, Luciano Alves soube como poucos levar conteúdo e informação ao rádio AM.

O comunicador recebeu um minuto de silêncio na partida entre Flamengo e Bangu, também na quinta -feira.

Atenção : a foto eu peguei do site oficial de Milton Neves e não tinha crédito do fotógrafo.

Comentário de Armando Maynard sobre mercado de TV por assinatura

Rosângela, é bom que isso aconteça para que haja uma maior flexiblização dos pacotes, pois Tv de assinatura no Brasil ainda é um serviço muito caro, privando assim a nossa população de usufruir de uma progamação segmentada e de alto nível, pois as tvs abertas, como sempre, preocupadas com a audiência e com a concorrência, vem ficando cada vez mais iguais e piorando sua progamação.Quanto a sua informação das tvs de assinatura que dominam o mercado, hoje a Directv passou a ser SKY. Um abraço, Armando

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Mercado de TV por assinatura pode crescer no Brasil

A agência Nacional de Telecomunicações estuda ampliação do mercado de TV por assinatura no Brasil. A meta é ampliar os 6 milhões de assinantes que hoje atingem 8,4% dos municípios brasileiros. A plano prevê o fim do número de operadores por cidades e a inclusão das empresas de telefonia na concorrência. Segundo dados da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura, ABTA, há 8 anos não há licitação para TV cabo no Brasil. Atualmente Globo, NET e Directv dominam 75% do mercado de assinarura do país.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Os porquinhos deram o que falar!


O email é de uma zootecnista "revoltada" com o tratamento que se dá aos porcos no artigo de Grce Melo intitulado: Nós, os porquinhos brasileiros! A postagem é do dia 18 de janeiro


Primeiro, gostaria de PARABENIZAR a autora jornalista Grace Melo pelo texto-reflexão “Nós, os porquinhos brasileiros”.

Mas o fato que me chamou a atenção, na verdade, foi o título do texto.

1. Por que utilizam as palavras “porquinhos e porcos” para externar uma situação de sujeira? 2. Vocês sabiam que o suíno ou o porco – sem usar a palavra porco pejorativamente – é um dos animais domésticos que está entre os mais limpos? Acredito inclusive que, o bicho homem seja muito mais imundo que o porco, incomparavelmente, como o próprio texto da jornalista expõe.
Agora vamos aos esclarecimentos:
1. Sou Zootecnista, por isto a frase pejorativa do título me chamou à atenção.
2. Por falar em porquinhos brasileiros, os realmente brasileiros, estão em risco de extinção por conta do uso indiscriminado do bicho homem!
3. Segue parte de um texto, na íntegra, do Dr. Márcio Maltarolli Quida, retirado da fonte: (http://www.suinoculturaindustrial.com.br/site/dinamica.asp?id=25631&tipo_tabela=variedades&categoria=geral)
De certo, nenhum suíno gosta de sujeira, tanto que, em sistemas confinados, os animais demarcam a área suja na baia, defecando no lado oposto aos comedouros.
Quanto ao odor característico: o suíno possui glândulas espalhadas pelo corpo que exalam este cheiro, indispensável na hierarquização e demarcação de território dos mesmos. Tenho certeza de que, da mesma forma que não gostamos de seu cheiro, eles não gostam do nosso também.
Questionam-se os hábitos alimentares dos suínos. É verdade que coprofagia (consumo de fezes) e urofagia (consumo de urina) são hábitos observados, com freqüência, em suínos mal manejados. A coprofagia determina que os níveis nutricionais e a quantidade de ração devem ser revistos e a urofagia aponta falta de água ou temperatura imprópria.
Observamos também, em explorações “de fundo de quintal”, que os suínos comem de tudo: casca de melancia, restos fermentados de alimento, etc.. É lógico;fique uns três dias sem comer e verá o porquê disso. Os suínos possuem duas vezes mais papilas gustativas na língua que a gente, portanto apresentam um paladar mais aguçado que o nosso.
Considerações finais.
Apesar dos justos motivos religiosos e dos mitos descritos neste artigo, a carne suína ainda é a carne mais consumida no mundo. O seu consumo é baixo nos países em desenvolvimento. Enquanto o consumo per capita no Brasil é de 13,0 Kg/hab/ano, em países como a Dinamarca, este consumo gira em torno de 70 Kg/hab/ano.
Como Técnicos em Agropecuária, temos o dever ético, através de nossa militância profissional, de desmistificar estas inverdades arraigadas na cultura brasileira através da ciência e da informação.”
Muito obrigada pela oportunidade,
------------------------
Olimpia Lima Silva Filha
Zootecnista - D.Sc. Produção Animal

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

É só trocar que dá certo!

De um jornal impresso sobre a contaminação das areias da praia de Atalaia, Aracaju, SE: Alunos de Biomedicina fizeram a análise da areia das praias dos Artistas, da Aruana e da Atalaia, onde foi constatado os maiores níveis de contaminação.

Basta trocar a ordem para saber se a concordância está correta.

Vejam:
Alunos de Biomedicina fizeram a análise da areia das praias dos Artistas, da Aruana e da Atalaia, onde os maiores níveis de contaminação foram constatados

"Se eu falar você publica?"

Do governador de Sergipe, Marcelo Déda, em entrevista coletiva quando perguntado sobre os gastos do atual governo em relação ao anterior e questionando se a declaração seria publicada no jornal. "Se eu responder a sua pergunta você me promete uma coisa? "Prometo", respondeu a repórter. Então vai, disse o governador: em dois anos de governo eu gastei metade do dinheiro que o governo anterior, publique isso!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

A justiça atrasa por causa do juridiquês




Um juiz de Porto Alegre exausto de ler tanto 'blá-blá-blá' nas petições, recomendou aos advogados "tirados a falar e a escrever difícil" que encurtassem o texto na hora de defender uma idéia. O magistrado relatou que em certos casos, só a entrada dos textos chega a ter 130 mil páginas, muito mais que certos livros. Se o juiz recebe por dia mais de 15 processos, basta multiplicar para saber porque a Justiça às vezes tarda tanto.


Veja alguns exemplos do “juridiquês” e sua tradução:

Fonte Consultor Jurídico


Apelo extremo: recurso extraordinário
Autarquia ancilar: Instituto Nacional de Previdência Social
Cártula chéquica: folha de talão de cheque
Com espeque (ou com fincas) no artigo, estribado, com supedâneo no artigo: com base no artigo
Digesto obreiro: Consolidação das Leis do Trabalho
Diploma provisório: medida provisória
Ergástulo público: cadeia
Exordial acusatória, peça increpatória, peça acusatória inaugural: denúncia
O autor está eivado de razão: o autor está com inteira razão
Peça incoativa, petição de intróito, peça-ovo: petição inicial
Remédio heróico: mandado de segurança

tríplice ou triplo?

De um radialista sobre um acidente numa das avenidas mais movimentadas de Aracaju envolvendo três veículos: "foi umas das colisões tríplices mais violentas que eu já vi!"

domingo, 18 de janeiro de 2009

Enchentes monitoradas por TV a Cabo

A população de Caratinga, a 300 km de Belo Horizonte, ganhou reforço para tentar se salvar a tempo das enchentes que têm tomado conta da cidade. Uma câmera fixa perto do rio capta imagens 24 horas e transmite por um canal a cabo. O serviço que é um excelente monitoramento da situação das águas é uma parceria entre Defesa Civil e comerciantes.

"Nós, os porquinhos brasileiros", por Grace Melo

Esta semana, no Blog Cajueiros e Papagaios, da colega jornalista Grace Melo, há um artigo sobre a cultura de jogar lixo nas praias. O título não poderia ser melhor: "Nós, os porquinhos brasileiros". A matéria fala dessa mania selvagem que a população tem de achar que local público é terra de ninguém. Recomendo,vale a pena ler!

http://cajueirosepapagaios.zip.net

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Abandonar o ônibus ou a vítima?

Manchete da página policial de um jornal local com caso clássico de ambiguidade só desfeito quando se tem acesso a todo o texto.
"Vítima recebe dois reais dos marginais para pegar um ônibus antes de abandoná-lo na Coroa do Meio".
Pergunta 01: A vítima recebeu os dois reais para pegar um ônibus e depois abandonar o veículo na Coroa do Meio? ou
Pergunta 02: A vítima recebeu dois reais dos marginais que iriam abandoná-lo depois?
Abrindo o jornal e lendo o texto, ai então o leitor percebe que o torneiro mecânico foi abandonado com dois reais na mão para pegar um ônibus.
Vale registrar o inusitado: a generosidade dos bandidos em deixar o dinheiro para o coitado do rapaz!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Pessoa fina, seu Lunga!

Na budega de Seu Lunga
Um cliente vem comprar
Algo para tira-gosto
Usa gíria ao se expressar:
- Seu Lunga, meu companheiro,
Me venda ai bem ligeiro
Algo para ‘beliscar’.

Lunga pega um alicate
Joga em cima do balcão
E rude pergunta ao moço:
- Isso serve cidadão?
O rapaz num rebuliço
Diz: - Valei-me ‘Padim Ciço’
Ó velho bruto do Cão!

O trecho é de “Seu Lunga, o Rei do Mau Humor”, cordel de autoria de Rouxinol do Rinaré, editado em Fortaleza e que pode ser encontrado no mercado de Aracaju.

No dia 09 de janeiro tem uma postagem de seu Lunga

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Na dúvida, uma gramática!

Recebi da colega jornalista Clécia Carla e adorei!

'Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:
'Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres. '

Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.
1) O sobrinho fez a seguinte pontuação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:
Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

Moral da história 1 : "A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Nós é que fazemos sua pontuação. E isso faz toda a diferença..."
Moral da história 2 : ( essa é minha) Na dúvida, consulte uma gramática!!!!!

domingo, 11 de janeiro de 2009

Notícia dá azia


Declaração do presidente Lula em entrevista à revista Piauí: " Não leio blogs, sites e jornais...e não é por falta de tempo...é que me dá azia"

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Código de Ética da oficina de "Seu Lunga"



Placa de uma oficina no Bairro Industrial, em Aracaju. Pelo visto não adiantaram tantos avisos e pedidos. O dono, a fineza em pessoa, decidiu se valer da força da palavra escrita e alertar os clientes a respeito do "código de ética" do frequentado recinto. Fico a imaginar, como dizem os portugueses, que tipo de pessoa deve andar por lá. Bem, de qualquer forma, o cidadão lembra uma grande figura da literatura popular, Seu Lunga, conhecido pelo terrível humor e língua afiada.

Se é muito é plural?

Manchete de telejornal local a respeito dos reajustes que assustam agora em janeiro: "o reajuste da cesta básica, do material escolar e da tarifa de água marcam o início deste ano..." Essa é uma das construções gramaticais mais comuns quando quem esscreve se depara com muitos elementos. Na oração, o sujeito é:..."o reajuste da cesta básica, do material escolar e da tarifa de água ..." Núcleo do sujeito: ...o reajuste. Concordando o sujeito com o verbo, a oração ficaria assim: o reajuste da cesta básica, do material escolar e da tarifa de água marca o início deste ano..."

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

França começa a banir publicidade da TV pública

Um dos mais controversos projetos do governo de Nicolas Sarkozy, a reforma do financiamento das emissoras de TV e de rádio públicas, entra em vigor hoje na França. A nova legislação suprime a publicidade de cinco emissoras do grupo France Télévision e dá ao chefe de Estado poder de nomear o diretor-presidente.A decisão revoltou a oposição e sindicatos de jornalistas, que denunciam uma manobra para controlar a imprensa e beneficiar grupos privados. O fim dos espaços publicitários na TV pública é uma discussão antiga no país. Nos anos 90, foi defendida pela esquerda. Em janeiro de 2008, foi incorporada pelo governo de Sarkozy.Após 11 meses de debates, de greves e trocas de acusações, a ideia foi aprovada na Assembleia Nacional em dezembro por 293 votos a 242. Com a homologação, os cinco canais de TV - France 2, France 3, France 4, France 5 e France Ô - não poderão mais difundir comerciais das 20h às 6h.
Fonte: O Estado de S.Paulo

domingo, 4 de janeiro de 2009

Televisão, apesar de tudo, ainda é hábito!


Só foi o SBT "se aquietar" com um jornal num horário para perceber que pode ter audiência também no jornalismo. O SBT Brasil, jornal comandado pelo experiente Carlos Nascimento, começa a dar bons índices. O jornal apostou numa fórmula conhecida e muito simples e chamou atenção justamente numa novidade incomum na televisão: a participação ao vivo por telefone do telespectador opinando sobre os mais variados assuntos. Coisa que pouca televisão aberta faz e fechada quase nenhuma. O diretor de jornalismo do SBT definiu o jornal como anti-"Jornal Nacional", ou seja, não se deixou levar na tentação de copiar o modelo Globo ( coisa que a Rede Record fez) que é o modelo americano de fazer telejornalismo.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Mudança Ortográfica

O que muda com o acordo ortográfico
Fonte: professor Sérgio Nogueira http://www.g1.globo.com/

Alfabeto - ganha três letras
Antes
23 letras 26 letras: entram k, w e y
Depois
Trema - desaparece em todas as palavras
Antes
Freqüente, lingüiça, agüentar
* Fica o acento em nomes como Müller
Frequente, linguiça, aguentar