segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

E o prêmio vai para...

A TV Cidade foi a vencedora do primeiro lugar no prêmio Setransp de Jornalismo com a série especial sobre transporte público urbano de Aracaju. A série Fala Cidade mostrou os problemas enfrentados por quem depende dos ônibus e também os caminhos que o setor deve seguir para a solução dos entraves. A reportagem foi da jornalista Clécia Carla. A foto é de Maria Odília

Resultado Geral

Mídia Eletrônica - Reportagem televisiva

3° lugar: “Série Transporte Coletivo” - TV Sergipe – Sayonara Hygia

2° lugar: “Motoristas Superação” - TV Canção Nova – Rosalvo Nogueira

1° lugar: “Fala Cidade – Gratuidade no transporte público” - TV Cidade – Clécia Carla

Mídia Eletrônica - Rádio-reportagem

3° lugar: “Gratuidade – liberdade de ir e vir e suas restrições” - Rádio Cultura – Ceiça Dias

2° lugar: “Acessibilidade – barreiras vencidas e outras a superar” - Rádio Cultura – Ceiça Dias

1° lugar: “Domingão no buzão” - 930 AM – Gabriel Damásio

Mídia Eletrônica - Site-jornalístico

3° lugar: “Transporte coletivo e o desafio da acessibilidade” – Infonet – Glauco Vinícius

2° lugar: “Excesso de gratuidade eleva valor da tarifa” - Jornal da Cidade.net – Cícero Mendes

1° lugar: “Falta bom senso no transporte coletivo” - Emsergipe.com – Fredson Navarro

Mídia Impressa – Reportagem

3° lugar: “Transporte público de Aracaju evoluiu em quase seis décadas” - Jornal da Cidade – Hádam Lima

2° lugar: “Trânsito de Aracaju não tem fluidez” - Jornal da Cidade – Célia Silva

1° lugar: “Ônibus: a beira do caos, primeira opção do povo, clama por subsídio” - Gazeta News – Susy Guimarães

Mídia Impressa - Fotografia

3° lugar: “Transporte coletivo: uma necessidade que atravessa gerações” – Alejandro Zambrana - Jornal da Cidade

2° lugar: “Praia lotada” – Jorge Henrique - Jornal da Cidade

1° lugar: “Aconchego” – Tarcísio Dantas - Jornal da Cidade


domingo, 6 de dezembro de 2009

Pesquisa que vale ouro!


Minha cara amiga Valéria Freire me manda uma dica mais do que preciosa: o Guia 2010 da Internet. O projeto é do governo do estado de São Paulo, por meio do Centro Paula Souza. A meta é intensificar a utilização de novas metodologias de aprendizado. São quase 700 endereços que vão das bibliotecas aos curso de mestrado no exterior, passando pela febre do twitter. Ferramenta muito boa para quem quer uma busca mais qualificada. O guia está disponível do endereço: www.centropaulasouza.sp.gov.br


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

S demaissssssssssssssss!!!!

Dias desses, numa reportagem de um portal sobre venda de fantasia para uma festa, o repórter escreveu simplesmente 7 vezes a palavra assessórios no lugar de acessórios. A grafia diferente chamou logo a atenção, mas não foi corrigida. Eu sei que todo mundo entendeu a mensagem, mas cabe um pouquinho mais de atenção por parte de quem escreve profissionalmente. E como sempre falo, a palavra escrita fica, parece diferente logo de cara e faz um barulho enorme. Se fosse na televisão, só os editores saberiam, já que foneticamente é tudo igual!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Telejornal sem Teleprompter


Todo mundo sabe que apresentadores se valem de texto lido nas câmeras através de um aparelho chamado teleprompter ou simplesmente para quem é do meio: TP. É do meio jornalístico também a máxima que com TP, qualquer um faz jornal. Bom, agora a tendência é que o aparelho caia em desuso dando lugar a um jornal mais conversado, leve e informal. Uma das últimas experiências vem do RJ TV, jornal local do Ro de Janeiro, Globo.

Nova ortografia

Um site que ajuda a tirar todas as dúvidas sobre a nova ortografia. Basta digitar uma frase ou parágrafo e ver tudo corrigido com as novas normas. A amiga sempre antenada Rosa Geane me mandou e amei. Vale a pena conferir no www.ortografa.com.br

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Em tempos de exposição, o pensamento é o último reduto de privacidade. Preserve-o!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Debate da OAB/SE na TV Cidade


O debate na TV Cidade acabou agora há pouco e foi muito proveitoso para mostrar o preparo dos candidatos que concorrem à presidência da OAB/SE. Os internautas puderam acompanhar pelo site da TV Cidade e também pelo Twitter.

Tem debate hoje na TV Cidade / siga no twitter

A TV Cidade realiza hoje debate entre os três candidatos à presidência da OAB/SE. Será 1h30 de discussões com perguntas entre candidatops e perguntas feitas por estudantes de Direito aos três. Será às 12h30, pela Net, canal 20, Jet, canal 48 e em tempo real pelo site da emissora www.redecidade.tv.br e também pelo twitter da TV Cidade

TV Digital chega a Aracaju

O ministro das Comunicações Hélio Costa assinou ontem a consignação dos canais do sistema brasileiro do sistema digital para as emissoras de Aracaju. 143 emissoras estão autorizadas pelo governo a transmitir sinais em alta definição. Aracaju é a sexta capital do Nordeste a receber canais digitais.

domingo, 15 de novembro de 2009

Debate - Collor reconhece "ajuda" da Globo nas Eleições

Em entrevista concedida ao jornalista Haroldo Ceravolo Sereza, do UOL Notícias, o ex-presidente Fernando Collor de Melo reconhece que a relação com a Globo ajudou bastante na vitória dele. O senador diz ter pensado, na véspera, que perderia a eleição. Vale a pena ler o relato de um dos mais importantes momentos da história política recente do país. O caçador de marajás, que bradava gritos contra a corrupção, aparece dando detalhes do relacionamento com a mídia, mas principalmente com as Organizações Globo.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Novidades em Sergipe

O Estado de Sergipe será contemplado em breve com cinco novas emissoras, sendo uma TV em Aracaju e quatro rádios FMs em São Cristóvão, Laranjeiras, Capela e Umbaúba. Estas novas emissoras ainda estão com seu edital de licitação em aberto, conforme as informações a seguir: TV Aracaju (preço mínimo pela outorga: R$ 2.524.152,91); FM Capela (46 km de Aracaju - preço mínimo pela outorga: R$ 90.349,54); FM Umbaúba (80 km de Aracaju - preço mínimo pela outorga: R$ 72.806,77); FM Laranjeiras (15 km de Aracaju - preço mínimo pela outorga: ainda a ser publicado); FM São Cristóvão (18 km de Aracaju - preço mínimo pela outorga: ainda a ser publicado).

O texto foi tirado de sites (vários publicaram o mesmo texto)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Tava no chaveiro?

Reportagem sobre uma motocicleta achada no Bairro Santa Maria na última semana. A polícia logo cedo encontrou o veículo. O repórter, acredito, sem muita informação para dar na hora saiu-se com essa: "a polícia acaba de encontrar uma moto aqui no Santa Maria, você que perdeu uma moto ontem pode vir que ela está aqui"Perguntar não ofende: como é que alguém perde uma moto? Cai do bolso, é?

Serial Killers?

A notícia que chocou a cidade na semana passada:

Quatro corpos do sexo masculino foram encontrados dentro de um veículo modelo Hilux, placa IAK-1188/SE, nas proximidades do povoado Minante, em Itaporanga D’ajuda. Dois deles estavam na carroceria do veículo e os outros dois no banco traseiro do carro.

Comentário de um radialista que cobria o assunto:
"Olha, deve ter sido um crime em série, já que foram quatro pessoas assassinadas"

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Lula em inauguração dos estúdios da Rede Record

"Não seria bom para o Brasil se a gente tivesse apenas uma televisão produzindo novela. Não seria bom para o Brasil se a gente tivesse apenas uma televisão dando informações", disse o presidente, em referência à líder Globo, sem citá-la. "Antigamente, sem controle remoto, (a televisão) ficava num canal só porque a gente ficava brigando em família para ver quem levantava para mudar o canal. Mas, agora, com controle remoto, não precisa levantar, é só clicar", afirmou.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Jornalismo sim senhor!!!!

Ao contrário do que afirmam muitos "especialistas" dos departamentos comerciais das emissoras de televisão Brasil afora, jornalismo pode sim ser um bom argumento de venda. Não significa que seja "vendido" como querem alguns desses mesmos diretores. Isso é um alívio porque sempre que se fala em cortes, a faca passa logo na cabeça do jornalismo.
Veja a matéria da Folha de São Paulo

Além de obrigadas por lei a destinarem pelo menos 5% de sua programação para transmissão de notícias, as emissoras têm um bom motivo para investir em jornalismo: o retorno da publicidade.Na RedeTV!, por exemplo, o principal jornal diário “RedeTV! News” (exibido das 21h às 22h) é o responsável pelo maior faturamento da emissora, com 30% a mais de retorno do que o segundo programa.Com a média de quatro pontos no Ibope, Toninho Rosa, superintendente comercial da RedeTV!, destaca que metade da audiência do jornal é das classes A e B, o que atrai anunciantes diferenciados.“Fazer jornalismo é um bom negócio”, resume. Para o superintendente, “notícia ruim em exagero, apesar da audiência, acaba afastando os anunciantes”. A partir disso, a emissora decidiu veicular aos sábados o jornal “Good News”, em que são proibidas notícias ruins. Embora tenha três pontos de audiência, suas três cotas de patrocínio estão garantidas. Para a Globo, a área jornalística “é valorizada em virtude da qualidade de informação isenta e imparcial apresentada em nossos telejornais”. O canal não faz comparações entre jornalismo e entretenimento.No SBT, segundo o diretor nacional comercial Henrique Casciato, houve crescimento de 25% dos anúncios nos programas jornalísticos em relação a 2008. Casciato também conta que, para os anunciantes, os três nomes de maior credibilidade nos telejornais do país são Fátima Bernardes, William Bonner e Carlos Nascimento.

sábado, 24 de outubro de 2009

Frase da semana

"O papel da imprensa não é o de fiscalizar o poder, mas informar"!

Luis Inácio Lula da Silva

A palavra escrita o vento não leva!!

Em Itapetininga, interior de São Paulo, um desses motoristas preconceituosos fez do vidro traseiro do carro, uma apologia ao crime de estupro. Na melhor das frases machistas que toda mulher um dia já ouviu na vida, estava lá: A Delegacia das Mulheres adverte: em caso de estupro, relaxe e goze. Certo de ganhar a simpatia de outros panacas no trânsito ou roubar sorrisos no churrasco do final de semana, o dito ganhou na verdade uma ação policial. Foi levado à delegacia e pode ser preso caso seja condenado, já que o crime prevê pena de 03 a 06 meses de prisão. Tirar do pensamento dele que o corpo da mulher não pertence ao macho, vai ser difícil. Mas pelo menos, ninguém será mais obrigado a ler tamanha sandice do vidro traseiro do carro do idiota!!

domingo, 18 de outubro de 2009

As bulas de remédio e a língua portuguesa

Quem gosta de ler bula de remédio sabe que muitas vezes as palavras assustam mais que esclarecem. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária decidiu que os fabricantes devem tornar mais claros os termos que constam nas bulas. Palavras como posologia devem desaparecer dando lugar a outras que possam significar algo para quem lê. Deve ser agora no formato perguntas e respostas. Aliás deveriam também aumentar aquelas malditas letrinhas. Qualquer dia desses, a gente vai ter que comprar lupa para conseguir decifrar os enigmas!

Para os amantes da boa leitura

No site livreiro.com.br, encontra-se tudo: de José Saramago a Michael Jackson. São comunidades que se formam para o debate de leituras das mais variadas. Bom para saber, às vezes, a impressão de algumas pessoas sobre determinados livros. A rede social foi apresentada na Feira Internacional Literária de Parati, no Rio de Janeiro. É possível criar a própria comunidade e montar uma biblioteca virtual para trocar ideias sobre os textos lidos.

domingo, 11 de outubro de 2009

Padeiro erra no português e minha cachorra agradece!

A falta de intimidade com a língua portuguesa produz coisas interessantes. O dono da padaria perto da minha casa, acho que cansado de gente pouco afeita aos bons costumes, tratou de barrar homens sem camisa no recinto. Aproveitou e tentou impedir a entrada de animais também, que vira e mexe, acabam deixando algum rastro desagradável no lugar. Não pensou duas vezes ( acho que nem uma, na verdade!!) e escreveu numa placa enorme:
PROIBIDO ENTRAR SEM CAMISA E ANIMAIS
Tentou o descuidado informar que estariam proibidas de entrar pessoas sem camisa e com animais. Deu tudo errado. A única coisa boa da história é que posso continuar levando minha poodle Lisbela para a padaria todas as manhãs.

p.s. Lisbela não faz nada que não deva e entra sempre no colo!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Pouca coisa mudou....

Na época????

De um repórter numa daquelas famigeradas matérias sobre o feriadão: ...o último feriado que caiu numa segunda feira foi o do dia 07 de setembro...na época, não foi registrada nenhuma morte!!!! Ué, é impressão ou a data tem pouco mais de mês?

domingo, 4 de outubro de 2009

Cinform sofreu ameaça de pagar quase R$ 1 milhão porque quis entrevistar filho de ex-governador


Uma das famílias mais tradicionais de Sergipe, que foi chefiada por um ex-governador e empresário que morreu em 2003, terá que aceitar um ex-frentista de 66 anos como herdeiro, fruto de um relacionamento fora do casamento dele com uma de suas operárias.

O trabalhador lutava há 12 anos pelo reconhecimento da paternidade e acionou a Justiça sergipana, onde obteve vitórias em duas instâncias, e ambas a família se negou a fazer o exame de DNA. Na semana passada, o Superior Tribunal de Justiça deu sentença acolhendo as determinações da justiça local, conforme a relatora do recurso, ministra Nancy Andrighi.

Em março de 2008, a mesma Justiça que hoje reconhece o ex-frentista como filho do empresário e ex-governador, impôs uma multa de quase R$ 1 milhão ao jornal CINFORM, caso uma matéria sobre o caso e uma entrevista exclusiva com o filho não reconhecido fossem veiculadas. O CINFORM também com um recurso no STJ ainda hoje não desmontou a censura.

Além da recusa por parte da família em realizar o exame de DNA, foi considerada como prova a semelhança física entre o ex-frentista e os irmãos. Isto foi ressaltado inclusive em trecho da decisão. “Pessoalmente ele é ainda mais parecido, tanto com o de cujus como com toda a família deste, tal qual cópia xerográfica, só que em uma versão mais castigada e empobrecida, sendo certo que seu timbre de voz é exatamente o mesmo que é marca registrada de todos os membros da família”, disse um magistrado.

Cinform online

sábado, 3 de outubro de 2009

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Que venha 2010 !

Não há restrições ao uso da internet nas eleições de 2010. Ótimo! Comparada às ruas, a internet passa a ser local de convivência onde cada um sabe o que deve fazer e até onde pode fazer! Assim como nas ruas, quem atravessa sinal vermelho, corre o risco de ser atropelado. Nas eleições, a rede mundial de computadores também vai exigir do cidadão noções de civilidade como respeito ao outro. Pena que com isso já se anuncie uma guerra entre aliados dos lados opostos ao governo do estado. Não bastasse o patrulhamento de veículos de comunicação tradicionais como rádio e TV, os blogs que pareciam terrenos livres desse tipo de censura, passam a ser atacados de forma desonesta pelos que acham que são donos da "liberdade de expressão". Cada um escreve o que quer do jeito que quer e cada um assuma a responsabilidade do ato.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Menor de 14 tem quantos anos?

Do episódio da filha do ex-titular do comando do policiamneto de Aracaju, Maurício Yunes: a menina tem 14 anos e teria se envolvido com um rapaz de 20. Muitos veículos usaram o termo menor de 14 anos que acabou se tornando ambíguo. Afinal se ela é menor de 14 anos, quantos anos ela poderia ter? 12, 13? Que tal a adolescente de 14 anos?

Aqui onde???

É divertido acompanhar como alguns colegas de rádio, às vezes se empolgam demais e simplesmente esquecem que estão num veículo sem imagem. Dias desses, estava o repórter narrando uma manifestação de moradores do município de Nossa Senhora do Socorro contra as novas medidas adotadas pela SMTT em relação aos terminais da cidade. "aqui, eles começaram a fazer manifestação....aqui a situação esta muito ruim...." Eis que interveio o apresentador com anos de estrada e perguntou: aqui onde meu filho????Onde você está??? Ou seja: até aquele momento, apresentador e ouvintes estavam perdidos em relação à notícia!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Acom Comunicação S.A. compra LIG TV em Aracaju

A LIG vendeu no último dia 21, a operação do MMDS em Aracaju Teleserv S.A. e MCL Cabo. A Acom Comunicações S.A. e sua coligada ACOMTV S.A. já oferecem serviços de TV por Assinatura e Internet Banda Larga nas 11 cidades em que atua. No Nordeste a Acom oferece tecnologia e infra-estrutura em cinco capitais – São Luis, Teresina, Natal, João Pessoa e Maceió. A Acom Comunicações S.A., detentora da marca JET, é uma empresa pertencente ao Grupo SGC, um dos principais grupos de Portugal.


domingo, 20 de setembro de 2009

"A dor e a delícia de ser o que é"


Num final de semana recheado de atividades que foram de um campeonato de judô a uma missa de eucaristia, não foi difícil garantir um olhar mais distante e perceber que a intolerância não é mais pano de fundo nas relações entre as crianças nas escolas. Hoje ela é vista em primeiríssimo plano. Longe de ser saudosista e dizer que na minha época de criança e adolescente, apelidos, agressões e xingamentos não existiam. Mas fora das discussões acadêmicas e dos estudos de psicologia e psiquiatria, o comportamento agressivo de meninos e meninas há uns 30, 40 anos não costumava passar da sala de casa. As coisas eram resolvidas ali mesmo, na rua ou na porta da escola (quem brigasse de uniforme era suspenso, por isso era comum haver brigas na saída). Meninos e meninas cresceram com apelidos horríveis que fizeram um monte de gente viver traumas insuperáveis para o resto da vida. A escola nunca foi chamada a pensar e os pais pior ainda! Mas hoje, não! Tudo se volta aos estudos e as teses sobre o comportamento maldoso de certas crianças. Vi numa disputa entre duas meninas no judô, o comportamento de um pai e de uma mãe que sinceramente me assustou. Os dois gesticulavam aos gritos e com palavras fortes, tentavam fazer a filha, de pouco mais de 8 anos, derrubar a adversária. Parecia rinha de galo! Fiquei assustada. Não era nada de incentivo, eram coisas do tipo: acaba com ela! Derruba! Não deixa ela ganhar! Pense na medalha! o absurdo foi tão grande que a aluna foi chamada a atenção. Enquanto isso eu trocava idéias com a mãe de um amigo de meu filho. Dizia ela que estava com problemas porque o menino, já tinha recebido apelidos por causa do tamanho da testa e dos óculos. Eu cá, me queixava dos apelidos que o meu teimava em não ouvir por estar acima do peso. E fico pensando que tipo de educação certas crianças recebem em casa quando reproduzem determinados comportamentos. Como consolar um terceiro lugar se é do primeiro o maior e melhor prêmio? Fiquei ali, encostada na parede com aquela mãe que se consolava com uma futura cirugia de miopia para o filho. Mas do jeito que a coisa vai, logo, logo, arranjam outro apelido bem cruel para ele!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Igreja demais?????

O diretor de rede do SBT, Guilherme Stoliar, foi ontem a Brasília para reclamar ao ministro das Comunicações, Hélio Costa, do avanço das igrejas, principalmente as evangélicas, sobre a programação das TVs. A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Daniel Castro na Folha desta terça-feira (15). De acordo com informações da coluna, Stoliar levou ao ministro um levantamento de todas as emissoras compradas ou arrendadas pelas igrejas recentemente e quer saber do Ministério se é legal ou ilegal o arrendamento de programações, parcial ou totalmente, por igrejas.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Queda do diploma e os efeitos II

Aliás, aqui em Aracaju, algumas turmas do curso de Jornalismo da Universidade Tiradentes já perderam muitos alunos. Bancados pelos pais, muitas vezes eles ficam num beco sem saída diante dos argumentos para pular do navio. Dias desses, conversei com uma ex- aluna do curso de Jornalismo que foi convidada pela mãe a mudar de área. Lamentosa, a menina passou para o Direito e perdeu a chance de realizar o grande sonho dela que era de ser jornalista. Mas cá entre nós, que mãe quer ver seus filhos gastando tempo e dinheiro num curso cujo diploma não vai servir para nada? Pode até não ter talento para as leis, mas que vai ser 'doutora', vai!!!!

Queda do diploma e os efeitos I

Assim que o Supremo Tribunal Federal anunciou a extinção do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão, o que se vê é uma debandada das salas de aula. A Facamp (Faculdades de Campinas), do interior de São Paulo, acabou com o curso de Jornalismo oferecido desde 2002 pela instituição. A faculdade alegou que não havia mais justificativa para manter um curso assim

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Sol à noite!!!!!!!!!

De uma previsão de tempo sobre a capital e interior: deve chover durante toda a semana, mas hoje faz sol só durante o dia. Ué!!!! e vai fazer sol à noite??????
O homem é universal fisiologicamente
Psicologicamente é regional.

Câmara Cascudo

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Filé sem tempero vira sola de sapato

Conheci esse texto de Paulo José Cunha em 2003, quando foi publicado originalmente no Jornal A Tarde, Bahia, no suplemento Revista da TV. Fiquei apaixonada pelas palavras e pela analogia e tenho comigo até hoje. E na televisão, cuidados devem ser redobrados. É preciso atrair pelo texto também. Se palavras não fossem tão importantes, não precisaríamos de repórteres. Só teríamos cinegrafistas!

Um bom cozinheiro, mesmo apressado, é capaz de fazer um trivial variado com os poucos recursos de que disponha. Mesmo assim deixará no semblante dos comensais aquele ar de beatitude comum a quem consome uma refeição, no mínimo, honesta. Um bom cozinheiro sabe que, se dispuser de mais tempo e mais recursos, será capaz de produzir uma refeição ainda mais apetitosa, variada, surpreendente. Mas, em momento algum, um bom cozinheiro culpará a pressa pela sensaboria do prato, pela falta de graça da salada, por ter transformado um filé mignon numa sola de sapato.
Da mesma forma, a pressa das redações não justifica a vulgaridade nem a falta de tempero dos textos jornalísticos. Até porque, se todos trabalham na pressão do tempo, por que diabos alguns conseguem produzir textos corretos e bem dosados de criatividade e harmonia, e outros – a maioria – servem ao indefeso telespectador um texto frio e seco, sem sal nem outro tempero capaz de torná-lo um pouco mais atraente?
O texto de boa parte do telejornalismo que a gente tem ouvido por aí é tão burocrático, frio e coalhado de lugares-comuns que a gente até desconfia que os autores querem punir duramente o pobre do telespectador. Mas, que diabo, até que ele tem feito sua parte: todo dia o telespectador compra a lourinha anunciada nos intervalos comerciais, mesmo sabendo que nunca ela vem acompanhada da lourona arrepiante do anúncio; todo dia, no mesmo horário, está ali, sentadinho e atento ao que os repórteres e apresentadores vão dizer; e, quando pode, o telespectador até pede autógrafos aos seus repórteres e apresentadores preferidos. Então, pelos santos óleos, pelas cinco chagas de Cristo, por tudo quanto é sagrado – que crime o desgraçado da poltrona cometeu para merecer tratamento tão desumano?
Televisão é um troço feito com palavras. Isso mesmo: palavras. As imagens são adicionais e, em grande parte das produções, apenas ilustrativas. Televisão devia até se chamar teleaudiovisão, porque a palavra vem em primeiro lugar na tarefa de transmitir informação. Costumo fazer com meus alunos um teste simples. Divido a turma em dois grupos. Submeto a um deles um telejornal mostrando só o vídeo. Ao outro, só mostro o áudio. No fim da experiência, o grupo que só ouviu terá captado de 80% a 90% do conteúdo, enquanto o que só viu as imagens ficou chupando o dedo, e meio desconfiado de que alguma coisa anda acontecendo pros lados de Bagdá.
Telespectador, esse ingrato
Ora, se o texto é assim tão importante, deveria merecer tratamento compatível, para que esta refeição diária do telespectador não se transforme num martírio. Uma das mais freqüentes queixas dos presidiários é quanto à má qualidade da comida das prisões que, de tão intragável, transforma-se em pena adicional. De certa forma, nosso telespectador vem sendo forçado a engolir uns bifes que provocariam rebelião em Bangu 1.
Nas conversas com os colegas igualmente preocupados com o problema, tenho identificado algumas explicações comuns para essa queda na qualidade dos textos. A primeira é que as redações, por economia, estão cheias de repórteres bonitinhos e bonitinhas, mas sempre muito jovens e, portanto, sem muita familiaridade com a língua e suas nuances. Faltam mais p. velhas, referências fundamentais para os novatos. Em segundo lugar, aponta-se a decadência da qualidade das escolas de ensino básico e médio, onde se deveria aprender a escrever. Lá pelo fim, alguém se lembra de falar que as faculdades de Comunicação, de maneira geral, não se preocupam muito com a questão do texto, por entender que esta etapa do aprendizado não lhes cabe por serem obrigadas a oferecer outros conteúdos tão ou mais importantes. Não fico com uma nem outra explicação. Se juntar tudo isso e mais um certo pacto da mediocridade – você finge que escreve direito e eu finjo que acredito – e a gente chega perto da verdade.
O certo é que o texto telejornalístico, salvo exceções muito bem-vindas, é quase sempre um desfilar de fórmulas que, de tão repetidas, parecem comida requentada. Pegue um papel e uma caneta e anote, só na edição de hoje do seu telejornal preferido, quantas vezes você ouviu expressões como "vale a pena conferir" ou "para se ter uma idéia". Sem falar na estrutura das matérias, que parece saída de uma linha de montagem. Pouca gente ousa, pouca gente arrisca, pouca gente erra. Nem que seja para melhor. Como o caminho cheio de marcas de pneus é mais cômodo e seguro, ninguém inventa outro. Entrar no mato, então, pra ver se acha alguma coisa diferente, uma bela cachoeira, nem pensar. Melhor ficar no banho de chuveiro mesmo.
E ainda tem gente que reclama quando a audiência dos telejornais começa a cair. Só pode ser culpa dos telespectadores, esses ingratos.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O pão é outro!!!!

Sobre essa polêmica toda em relação às declarações do ex-governador de Sergipe, João Alves Filho, afirmando que os prefeitos poderiam mamar nas tetas do governo e depois pular para o lado dele( João Alves) um ex-secretário que passou a semana na defesa do ex-governador tentou explicar: ..."olha, essa coisa toda, na verdade é que ele quis dizer que os prefeitos estavam insatisfeitos porque estão sendo tratados pelo governo Marcelo Déda a pão-de -ló. Ora, ora, ora, se os prefeitos estão sendo tratados a pão de ló, por que haveriam de largar o atual governo e debandar para o outro lado. Que injustiça! Eis que no final da argumentação o ex-secretário lembra, ou é lembrado por alguém que os prefeitos estão sendo tratados a pão e água! Ah, tá!!!!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Agora é pra valer!!!!

A Rádio UFS, pertencente à Universidade Federal de Sergipe que atuava em caráter experimental desde agosto de 2008, está definitivamente no ar. A Rádio UFS FM surgiu de um convênio realizado em 2004 com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), antiga Radiobras, que cedeu a sua concessão para que a UFS montasse a emissora. A emissora tem um alcance de 130 W e pode ser sintonizada através da 92.1 MHz. Além disso, pode ser acessada também pela internet, através do endereço eletrônico www.infonet.com.br/radioufsfm. A coordenação de programação da rádio fica por conta da colega jornalista Juliana Almeida. Boa sorte a todos!!!!
Informações da Assessoria de Comunicação da UFS

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Teles no mercado de TV por Assinatura

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou hoje (19) por unanimidade o texto principal do Projeto de Lei 29/07, que regulamenta o mercado de TV por assinatura e permite a entrada das empresas de telefonia no setor. Os 11 destaques apresentados ao substitutivo do deputado Vital do Rêgo Filho (PMDB-PB) serão votados na próxima quarta-feira (26). O projeto tramita em caráter conclusivo e já foi aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio. Antes de ir para o Senado, a proposta ainda precisa ser analisada pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Da Agência Brasil Em Brasília

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Colaboração do jornalista Gilson Sousa / "mãos erguidas para baixo"?

Rosangela, acabei de me assustar com uma reportagem na TV sobre uma procissão em homenagem à Nossa Senhora do Socorro. A repórter, com muita sapiência, disse que as pessoas estavam com as mãos erguidas para o alto. Fiquei pensando como seriam erguidas para baixo. E mais: disse que essas mesmas pessoas carregavam velas nas mãos. Ora, bolas, quanta obviedade. Elas até poderiam carregar as velas nas cabeças, mas seria ridículo demais, o que valeria uma reportagem à parte. Já pensou?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Nos tempos da TV Atalaia

Cara amiga Betânia Teixeira, desculpe-me pelos olhos fechados, mas não perderia a oportunidade de relembrar pela foto, uma época tão boa de nossas vidas na convivência diária na TV Atalaia. A foto foi mandada pelo nosso amigo Gilson Sousa, a quem fiquei importunando o tempo inteiro pelo envio. Valeu Gilson! E que saudade de um tempo em que se fazia amigos e não concorrentes...

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Mulher no comando do jornal

Assumiu a Direção de Jornalismo do Jornal da Cidade a jornalista Acácia Trindade. A profissional que está há 23 anos no jornal foi o nome escolhido para preencher a vaga deixada pelo jornalista Marcos Cardoso. Fico feliz em ver mais uma mulher no comando de um veículo de comunicação!!

Boa sorte, secretário!!


Marcos Cardoso é o novo secretário de comunicação da prefeitura de Aracaju. Marcos deixa a direção de Jornalismo do Jornal da Cidade e assume a pasta a convite do prefeito Edvaldo Nogueira. Como disse no discurso de posse, o jornalista "passa de balhadeira à vidraça". Boa sorte ao amigo, um jornalista ético, honesto e um apaixonado pela profissão!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Foi de chorar...de rir!!!! II

Ainda no mesmo jogo, chega o repórter de campo para o jogador fumaçando pela derrota vergonhosa: e aí, qual é o detalhe????? Meu amigo, o jogador deve ter olhado para a cara do cidadão com uma fisionomia que fiquei imaginado e soltou: ''não tem detalhe não meu amigo, a gente perdeu o jogo e só''.

Foi de chorar...de rir!!!! I

O último jogo do time do confiança foi um desfile de pérolas ao sabor de uma tarde chuvosa de domingo, quando o companheiro ao lado insiste em ouvir as notícias do futebol local ao som de uma rádio AM. Num dos cartões que o juiz aplicou num dos jogadores, eis que aparece o locutor e diz: ...e fulano de tal tomou o cartão merecidamente....e de graça. Ora, ora, ora..foi merecido ou foi de graça e o jogador não merecia???? Uma amiga minha chamada Lisbela também ficou na dúvida!!!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Nem para o céu!!!!

Nota da Folha e publicado pelo site www.ne.noticias.com.br

Tudo menos isso
Em tempos de turbulência no Senado, o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), foi convidado por uma rádio, na semana passada, para participar de um debate representando a oposição.
O tucano topou a entrevista, mas, quando já se preparava para bombardear o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), a produção avisou que, do outro lado da linha, estava Almeida Lima (PMDB-SE), famoso pelos discursos longos e veementes em defesa tanto de Sarney quanto, no passado, de Renan Calheiros (PMDB-AL).
O tucano não hesitou:
-Cancela, cancela! Com ele eu não vou nem para o céu!

terça-feira, 28 de julho de 2009

Outra versão ou direito de resposta II

Sobre os argumentos da necessidade de mais divulgação, não há dúvidas de que quanto mais informação melhor. Mas nunca é demais lembrar que os interesses comerciais e políticos dos veículos de comunicação tradicionais de que o governo tanto fala, muitas vezes servem de prática de setores do próprio governo para tentar pressionar veículos com fábulas de publicidade.
O endereço é e-sergipe.wordpress.com

Outra versão ou direito de resposta I

O Governo de Sergipe criou uma ferramenta para, segundo a própria secretaria, servir de contraponto às divulgações feitas pela imprensa de Sergipe. O nome do blog é ‘Outra versão’. Explicação do governo: ..." É mais uma forma que o Governo de Sergipe encontra de estreitar sua relação com os cidadãos, sem o filtro dos interesses comerciais e políticos dos veículos de comunicação tradicionais". As primeiras postagens já podem ser vistas. Há comentários sobre reportagem veiculada pelo Jornal Correio de Sergipe. É sobre a obra da barragem do Jabiberi, em Tobias Barreto que segundo a matéria atormentava os moradores do município há mais de 20 anos. Sem sistema de abastecimento próprio, os moradores dependiam do abastecimento de água vindo da Bahia. O governo desmentiu a informação.

sábado, 25 de julho de 2009

Tem audiência, sim senhor!!!

De um locutor de rádio fazendo reportagem sobre a greve dos servidores do Cenam - Centro de Atendimento ao Menor em Sergipe. O funcionário não queria dar entrevista com medo de represália do governo. O locutor solta o argumento: "...pode falar, não tem importância, não, é rádio e ninguém está vendo você". Deu certo, o repórter conseguiu a entrevista mas logo depois o locutor que estava no estúdio tratou de emendar: "epa, tem muita gente vendo sim, são pelo menos 80 mil pessoas que nos acompanham todos os dias das 6 às 9 da manhã. Ou seja: não entendeu nada. A intenção do repórter foi tranquilizar o funcionário já que seria mais difícil a identificação já que não seria televisão.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Confiança não tem preço


O jornalista americano Walter Cronkite, um dos âncoras de maior prestígio da TV americana, morreu nesta sexta-feira (17), aos 92 anos. Segundo a emissora CBS, a família informou que Cronkite lutava contra uma doença vascular no cérebro havia sete meses.
Conhecido como “o homem mais confiável da América” e lembrado em diversas pesquisas como um dos jornalistas de maior credibilidade nos Estados Unidos, ele apresentou telejornais na CBS entre os anos de 1962 e 1981. Cronkite participou das coberturas de importantes fatos históricos, como o assassinato do presidente John Kennedy, a guerra do Vietnã, o escândalo de Watergate e a chegada do homem à Lua. Cronkite foi considerado o expoente máximo de uma época na qual a figura do âncora acumulava salários milionários, determinava o noticiário emitindo opiniões, e monopolizava os grandes eventos, além de influenciar na maneira como o americano deveria pensar. O modelo combinado de apresentador e editor-chefe de telejornais ainda é referência não só no Estados Unidos como em vários países, inclusive o Brasil.

O texto é do portal G1

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Verde que te quero verde!!!


De um repórter de rádio filosofando sobre o esforço que o time do Confiança (Sergipe), teria que fazer para ganhar a partida contra o Asa de Arapiraca ( Alagoas) : "...é, literalmente os jogadores terão que comer grama" Acho que é por isso que os estádios andam tão esburacados!!!!!

terça-feira, 14 de julho de 2009


"Nunca escreva com raiva. A raiva deve ser oral, deve ser dita e não escrita. Raiva é para dizer palavrão"

Monteiro Lobato

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Alguém nasce velho II

Bem lembrado pelo meu amigo jornalista Gilson Sousa sobre a postagem "Alguém nasce velho??
Nasce sim, no filme O curioso caso de Benjamim Button...Valeu!!!!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Alguém nasce velho??

Pipocaram na semana passada as notícias do nascimento do filho do governador de Sergipe, Marcelo Déda. A maioria optou pelo texto: " nasceu o filho mais novo de Marcelo Déda..." "Nasceu o mais novo rebento do governador.. Ora, ora, ora, quem já viu nascer alguém que não seja novo???

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Perdeu a credibilidade. A pose, nem tanto


A Revista Veja on line está destacando esta semana uma entrevista interessante com o apresentador Gugu Liberato, do SBT, que assinou contrato com a Record. Como é costumeiro em alguns profissionais do ramo, saiu falando mal da emissora onde trabalhou (já andou propalando por ai que não "era mais importante para o SBT"). Como é sabido, sua derrapada no episódio do PCC custou muito caro. Perdeu audiência e credibilidade. Quem comete um desrespeito daquele com o público não merece respeito (e nem audiência) de ninguém.

Veja um trecho que achei interessante:


Revista Veja - No começo da década, o senhor batia a Globo no ibope. Por que seu desempenho nunca mais foi o mesmo?

Gugu Liberato - O desempenho de um programa reflete a situação da emissora em determinado período. Nos tempos em que batíamos o Faustão, o SBT também tinha outros grandes sucessos: Show do Milhão, Chiquititas. Quando a média geral da emissora é alta, todos os programas acompanham essa tendência. Quando a audiência do SBT caiu, nós sofremos com isso. É natural.


RV - Então a culpa da queda de audiência de seu programa não foi sua, e sim do SBT?

GL - Não só do SBT. Mas a gente sofre as conseqüências da situação da emissora. Eu costumo dizer o seguinte: dar ibope na Globo é muito fácil. Muito mesmo. Porque a média geral da Globo é imensa. Pode ver: a Globo dá 30 pontos de ibope no horário eleitoral e, se está fora do ar por problemas técnicos, ainda registra 15. Difícil é dar audiência fora da Globo. Naquele período em que estávamos com grandes números em cima do Faustão, é porque o SBT como um todo estava bem. Em televisão, você não faz milagre sozinho.


RV - O SBT perdeu o rumo?

GL - Eu não chegaria tão longe. O SBT é um avião muito potente. É claro que, num momento de turbulência como agora, alguém precisa segurar o manche desse avião com força. Não existe no SBT ninguém mais capaz de fazer isso do que o próprio Silvio Santos. Ele é de uma inteligência incomparável como ser humano, artista e empresário.


RV - Silvio é um patrão difícil?

GL - Nem um pouco. São 35 anos de convivência, posso afirmar isso com segurança. Metódico demais, talvez. Difícil, não.


RV - Sua moral foi ao fundo do poço com o caso da falsa reportagem sobre o PCC, em 2003. Como é conviver com essa mácula do passado?

GL - Ora, veja: eu não estava lá no momento daquela entrevista. E quem fez a reportagem jura até hoje que aquelas figuras eram realmente do PCC. Quando tive de depor, dois anos depois, eu fui à delegacia dirigindo meu carro. Os demais envolvidos foram escoltados porque estavam presos por outros delitos. Então, levanto a pergunta: como se prova se eles eram ou não do PCC? Tem de mostrar carteirinha? É impossível saber ao certo. Mas a imprensa martelou o caso durante dois meses em função da audiência que tínhamos naquela época.

domingo, 28 de junho de 2009

Cresce mercado de TV por assinatura no Brasil

O número de usuários de banda larga no Brasil que também assinam serviço de TV por assinatura cresceu 43% no primeiro trimestre, somando 2,8 milhões.
As empresas de TV por assinatura concorrem com as companhias de telecomunicações nesse mercado.
De acordo com dados da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA) e do Sindicato das Empresas de TV por Assinatura (Seta) divulgados nesta quarta-feira (24/06), a base total de assinantes de TV paga, por sua vez, registrou um crescimento de 17,6% de janeiro a março em relação ao primeiro trimestre de 2008, somando 6,4 milhões de domicílios.
"Apesar do cenário econômico extremamente desafiador, a indústria de TV por assinatura continua a se desenvolver. A programação variada nos canais pagos ganha valor nesse contexto, pois é mais uma opção de entretenimento para o brasileiro", afirmou em comunicado o presidente da ABTA e do Seta, Alexandre Annenberg.
Conforme o levantamento, que inclui dados das principais operadoras de TV por assinatura do país, a indústria teve um faturamento bruto de 2,5 bilhões de reais nos três meses iniciais de 2009, expansão de 27% sobre igual intervalo do ano passado.

Reportagem da Reuters

sábado, 27 de junho de 2009

Jornalistas vão à luta pelo diploma e pela valorização da profissão

A peça publicitária é criação de Marcélio Couto.


O texto foi retirado na íntegra do blog do colega jornalista Cláudio Nunes

Os jornalistas de Sergipe não vão cruzar os braços diante da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que no último dia 17, derrubou a obrigatoriedade de diploma universitário para o exercício do jornalismo. Propostas de luta para buscar reverter o golpe do STF à categoria foram aprovadas na assembléia extraordinária convocada pelo Sindicato dos Jornalistas de Sergipe (Sindijor) e realizada na noite de ontem, 25/06, na sede da CUT/SE.A assembleia envolveu jornalistas profissionais, estudantes e professores de jornalismo, e foi dado direito de voz e voto a todos que participaram. “Entendemos que a decisão do STF meche com a vida de todos os jornalistas e futuros jornalistas. Por isso colocamos a proposta de abrir a assembleia para todos, e foi aprovada por unanimidade dos sindicalizados a participação também dos estudantes e professores”, explicou o presidente do Sindijor, George Washington.

Revolta e indignação
Em muitas das falas de jornalistas profissionais e estudantes, o sentimento era o de revolta e indignação pela decisão do STF e pelos argumentos utilizados pelos ministros que, na opinião da maioria, não tinham fundamentos que justificassem o fim da exigência do diploma para jornalista. “É falso e falacioso o debate sobre a liberdade de expressão e de opinião colocado pelos ministros, como é falso e falacioso o argumento de Carlos Britto, que coloca o jornalismo como arte, como literatura. Não é. Mas é bom lembrar que o que mudou, de forma radical, foi o acesso à profissão. Os direitos trabalhistas da categoria permanecem inalterados”, ressaltou Cristian Góes, dirigente do Sindijor. A estudante de jornalismo Gleice Queiroz repudiou a decisão do STF e lamentou profundamente o voto do ministro Carlos Ayres Britto. “Me orgulhei muito quando Carlos Britto assumiu no STF, mas agora ele se mostrou uma grande decepção. Pago caro uma faculdade esperando para me formar e ter meu diploma, e agora ele não vale de nada. Isso me deixa indignada”, manifestou a estudante. Após debater por mais de duas horas a decisão do STF e as conseqüências para os jornalistas, a assembleia apontou uma série de encaminhamentos para a categoria enfrentar essa nova realidade.

Ato público de protesto contra Carlos Britto
As propostas aprovadas pelos jornalistas são:A categoria está, desde já, em estado permanente de mobilização e de assembleia; Realização de um seminário com participação do Sindijor, OAB e escolas de comunicação para discutir a decisão e os caminhos para buscar uma nova regulamentação para a profissão de jornalista que exija mais uma vez a formação em nível superior; Cobrar dos poderes Executivo e Legislativo de Sergipe posição pública em defesa da função de assessor de imprensa nesses órgãos como cargo a ser preenchido por jornalista diplomado;Realização de ato público em Aracaju em defesa do diploma de jornalista e da regulamentação da profissão; Ação jurídica individual ou coletiva dos estudantes de jornalismo ou profissionais contra a União, por intermédio do Sindicato, requerendo indenização por danos material e moral pela perda do diploma de jornalista para o exercício da profissão; Apoio a quaisquer iniciativas de parlamentares no sentido de obter uma nova regulamentação,em especial às propostas já apresentada pela deputada estadual Ana Lucia (PT) e pelo senador Valadares (PSB); Cobrar posição pública das escolas de comunicação sobre a decisão do STF;Realização de ato público de protesto contra o ministro sergipano Carlos Ayres de Britto;Reforçar a ação nas redações de não divulgar matérias de assessores de imprensa que não sejam jornalistas formados. Divulgar no site do Sindijor as empresas de comunicação que estão contratando jornalistas sem formação como repórteres e editores; Sindicato deve encaminhar expediente aos poderes públicos, no sentido de que continuem exigindo o nível superior em jornalismo para os cargos de jornalista em concursos públicos; Como decisão final, a assembleia aprovou, por unanimidade, que o Sindijor não deve filiar jornalistas não diplomados, à exceção de repórteres fotográficos e cinematográficos, ilustradores e diagramadores, conforme o decreto-lei 972/69 ou por imposição de decisão judicial, até decisão final da Fenaj e/ou do Ministério do Trabalho e Emprego. (fonte: Sindijor/SE).


segunda-feira, 22 de junho de 2009

OAB/SE vai propor PEC para exigência de diploma para jornalista

O presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, entende que a decisão do Supremo Tribunal Federal pela inconstitucionalidade da exigência de diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista caracteriza um retrocesso histórico. “Mas, na interpretação constitucional, a última palavra é a do Supremo Tribunal Federal”, ressalta o presidente Henri Clay.
Diante deste contexto, conforme enaltece o presidente da OAB/SE, a alternativa viável para resgatar a exigência do diploma é incluí-la, de forma clara, na Constituição Federal. “O fim da exigência do diploma de jornalista desmantela a categoria profissional de jornalista e pode propiciar uma desqualificação técnica e mediocrização da comunicação”, entende Henri Clay. “O que seria um verdadeiro atentado à cidadania e enfraquecimento da democracia”.
A OAB/SE vai propor à bancada de deputados federais e de senadores sergipana que eles assumam compromisso em deliberar o Projeto de Emenda Constitucional para exigência do diploma de jornalista. O presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, vai encaminhar para o Conselho Federal da OAB proposta para que a exigência do diploma de nível superior para o exercício da atividade jornalística seja assunto debatido na próxima sessão do Conselho Federal da OAB, a ser realizada no mês de agosto.

Para o presidente em exercício da OAB/SE, Valmir Macedo de Araújo, a decisão do STF representa um verdadeiro atentado ao mega princípio da liberdade de expressão. “Valor democrático e republicano que
se valoriza com a qualidade da informação”, entende Macedo.
“Sem dúvida, a imprensa livre e independente só se consolida com profissionais graduados em cursos superiores e devidamente estruturados em Diploma Profissional que prime pela ética e qualificação técnica dos seus membros”, ressalta Macedo. “Espero que o Congresso Nacional, em sintonia com o povo, procure corrigir esse equívoco trazendo alternativa constitucional que restabeleça a graduação técnica como exigência ao exercício da profissão de jornalismo”, enfatiza.

O texto é da colega jornalista CÁSSIA SANTANA

domingo, 21 de junho de 2009

Manifestação de jornalistas

Amanhã às 15h, será realizada na Assembléia Legislativa de Sergipe uma manifestação de jornalistas. Todos vestidos de preto irão se manifestar contra a decisão do Supremo Tribunal Federal de derrubar a exigência do diploma para o exercício da profissão.

HÉLIO COSTA: PROJETO DE LEI EM PROL DO DIPLOMA.
O ministro das Comunicações, Hélio Costa, lamentou nesta quinta-feira a decisão do Supremo Tribunal Federal (STJ) de acabar com da obrigatoriedade do diploma para a profissão de jornalista. Ele defendeu que o Congresso Nacional elabore um projeto de lei contemplando a exigência da formação acadêmica para o exercício da atividade. “O que acontece é que quando há dúvidas essas questões vão parar no Supremo (Tribunal Federal), que decide em cima do histórico jurídico da matéria que é apresentada” afirmou o ministro. Para ele o Congresso deveria discutir essa questão e encontrar um caminho para oficializar a importância do diploma. “Acho que um deputado ou um senador poderia enviar um projeto de lei para ser apreciado pelo Congresso” afirmou.

Presidente Nacional da OAB defende diploma para jornalista




César Britto continua sendo um advogado sensato e consciente. Segundo Britto, o STF deu habeas corpus para mau jornalista ao abolir registro profissional. O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, afirmou que o Supremo Tribunal Federal "deu um habeas corpus para o mau profissional ao acabar com o registro do jornalista no Ministério do Trabalho". Segundo ele, a afirmação feita hoje pelo presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, de que não é mais necessário o registro profissional do jornalista, em decorrência da decisão daquela Corte de acabar com o diploma, "equivale a dizer que o STF liberou o mau profissional para que pratique atos que possam causar grandes lesões, sem nenhum prejuízo".Para Cezar Britto, para que exista uma profissão é preciso qualidade técnica e qualidade ética. "Em geral, qualidade técnica é conferida pelo diploma e pela escola da vida; mas a qualidade ética, que também deve ser ensinada, ela precisa ser cobrada caso se venha a infringir esse importante requisito da profissão", sustentou.O presidente nacional da OAB observou que a qualidade ética é essencialmente garantida pelo registro do diploma no Ministério do Trabalho. "Isto porque o profissional sabe que se não agir com ética o registro profissional pode ser cancelado", explicou ele, lembrando o sistema que vigorou até hoje.

A matéria foi retirada do site da OAB nacional. A foto foi achada no google e não tinha crédito

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Nota Pública do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe

A direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Sergipe (Sindijor/SE) vem a público esclarecer:
1 - Os jornalistas brasileiros enfrentam neste momento uma das piores situações da história da profissão no Brasil. O Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria, acatou, na última quarta-feira (17/6), o voto do ministro Gilmar Mendes considerando inconstitucional o inciso V do art. 4º do Decreto-Lei 972 de 1969 que fixava a exigência do diploma de curso superior para o exercício da profissão de jornalista. Outros sete ministros acompanharam o voto do relator, entre eles o sergipano Carlos Ayres de Brito.
2 - A decisão é um retrocesso institucional e acentua um vergonhoso atrelamento das recentes posições do STF aos interesses da elite brasileira e, neste caso em especial, ao baronato que controla os meios de comunicação do país. A sanha desregulamentadora que tem pontuado as manifestações dos ministros da mais alta corte do país e que interessa ao setor privado consolida o cenário dos sonhos das empresas de mídia e ameaça as bases da própria democracia brasileira.
3 – A desregulamentação total das atividades de imprensa no Brasil não atende aos princípios da liberdade de expressão e de imprensa consignados na Constituição brasileira nem tampouco aos interesses da sociedade. A desregulamentação da profissão de jornalista é, na verdade, uma ameaça a esses princípios e, inequivocamente, uma ameaça a outras profissões regulamentadas que poderão passar pelo mesmo ataque, agora perpetrado contra os jornalistas.
4 - O voto do STF humilha a memória de gerações de jornalistas profissionais e, irresponsavelmente, revoga uma conquista social de mais de 40 anos. Em sua lamentável manifestação, Gilmar Mendes defende transferir exclusivamente aos patrões a condição de definir critérios de acesso à profissão. Desrespeitosamente joga por terra a tradição ocidental que consolidou a formação de profissionais que prestam relevantes serviços sociais por meio de um curso superior.
5 - O presidente-relator e os demais magistrados, de modo geral, demonstraram não ter conhecimento suficiente para tomar decisão de tamanha repercussão social, fazendo, inclusive, comparações descabidas entre profissões distintas a dos jornalistas. Sem saber com clareza o que é o jornalismo e as suas especificidades, mais uma vez – como fizeram no julgamento da Lei de Imprensa – confundiram liberdade de expressão e de imprensa e direito de opinião com o exercício de uma atividade profissional especializada, que exige sólidos conhecimentos teóricos e técnicos, além de formação humana e ética.
6 – O Sindijor/SE esclarece que a decisão do STF eliminou a exigência do diploma para o acesso à profissão, mas que permanecem inalterados os demais dispositivos da regulamentação da profissão. Dessa forma, o registro profissional continua sendo condição de acesso à profissão e o Ministério do Trabalho e Emprego deve seguir registrando os jornalistas, diplomados ou não.
7 - A absurda decisão do STF não alcança aos jornalistas profissionais e nem a atividade jornalística, mesmo ocupada por pessoas sem condições para exercê-la. O Sindijor/SE esclarece que continuam intactas suas conquistas históricas, como o piso salarial, a jornada diferenciada de cinco horas e a criação dos cursos superiores de jornalismo, conquistas da categoria e reforçadas em Convenção Coletiva, que tem poder de lei. Em que pese o duro golpe na educação superior, os cursos de jornalismo poderão seguir capacitando os futuros profissionais.
8 – O Sindijor/SE vai esperar a publicação do Acórdão do STF sobre a decisão, mas já adianta que vai tomar uma série de medidas para superar esse golpe contra os profissionais e contra a sociedade, como acompanhar e divulgar para toda sociedade os veículos de imprensa que estão contratando jornalistas não diplomados, estimular que estudantes que estão no curso superior em Jornalismo ingressem com várias ações reparadoras contra a União; pressionar parlamentares federais para que apresentem Proposta de Emenda Constitucional que restabeleça a regulamentação da profissão de jornalista com exigência do nível superior; entre outras.
9 – O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Sergipe tomará todas as medidas possíveis para rechaçar os ataques e iniciativas de desqualificar a profissão, impor a precarização das relações de trabalho e ampliar o arrocho salarial existente.
10 - Neste momento crítico, o Sindijor/SE, como sempre fez nos últimos anos, conclama mais uma vez toda a categoria e os estudantes a mobilizar-se em torno do sindicato. Somente a nossa organização coletiva, dentro da entidade sindical, pode fazer frente à ofensiva do patronato e seus aliados contra o jornalismo e os jornalistas. Também conclama os demais segmentos profissionais e toda a sociedade para que intensifiquem o apoio e a participação na luta pela valorização da profissão de jornalista, tão necessária à manutenção de uma sociedade democrática.
Direção do Sindijor/SE
Aracaju/SE, 19 de junho de 2009

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Da ex- jornalista Rosângela Dória

Estou de luto pela derrubada da exigência do diploma para a profissão de jornalista. Foi vergonhoso ver os votos dos nossos ministros do Supremo Tribunal Federal e pior ainda acompanhar os argumentos que serviram de base para a derrubada. "Jornalista é como cozinheiro e costureira"disse o ministro Gilmar Mendes. Qualquer um agora pode ser jornalista. Sinto pelos meus colegas jornalistas que investiram tanto na carreira, gastaram tempo e dinheiro e sonharam que um dia poderiam ser jornalistas. Se o mercado já era invadido por "picaretas de plantão", imagine agora. Lamento muito!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Esclarecimento II

Tenho recebido também emails cujos donos não permitem a identificação. A fonte é algo sagrado, protegida inclusive por lei, mas o jornalista que recebeu a informação deve ter acesso à pessoa dona do comentário. Aproveito para esclarecer que essa é a diferença entre jornalista que escreve blog e qualquer outra pessoa. Temos que levar para o blog a mesma responsabilidade que temos com qualquer veículo. Retirei do blog de Gilmar Carvalho nenoticias.com.br algumas regras e espero que todos possam entender.

Regras do blog (as mesmas do blog do Ethevaldo Dias, jornalista de O Estado de São Paulo)

Não serão aceitos comentários que:
1. Que não tenham a devida identificação do autor com nome e e-mail;
2. Excedam 500 caracteres com espaço;
3. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.Exemplo: um comentário onde o autor diga que fulano é ladrão, corrupto, burro, salafrário e por ai vai. Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Portanto, o titular deste blog poderá ser responsabilizado civil e criminalmente por tudo que aqui for escrito.4. sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;5. Não tenham relação com a nota publicada pelo Blog.Atenção: só serão disponibilizados no blog os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Esclarecimento I

Tenho recebido inúmeros emails sobre políticos sergipanos e avaliação do quadro político do estado. Gostaria de esclarecer que o objetivo do blog é falar sobre comunicação. Ele não é um blog com conotação partidária. Podemos falar sobre política desde que isso esteja relacionado ao mundo da comunicação.

TV a "gato" nas mãos da milícia no Rio de Janeiro

A instalação de TV a cabo clandestina é, segundo a polícia do Rio de Janeiro, uma das três principais fontes de renda da milícia no estado. Engrossam a lista o transporte clandestino e a venda irregular de gás de cozinha. Secar as fontes de dinheiro é um dos passos da polícia para desmontar os grupos que em troca de pagamentos, oferecem uma uma suposta segurança. Ficam entre os bandidos e a polícia e fazem dos moradores reféns do medo. Como não há fiscalização, a TV a "gato" cresce assustadoramente em todo o país.

E viva a Internet!!!!

No Irã, a população vive momentos de censura por parte do governo. Jornalistas estão sendo vigiados. Mas a censura enfrenta a força da internet. Telefone celular, o Facebook, o Twitter ajudam na divulgação de notícias dos conflitos. As imagens dos protestos violentos rodaram o mundo e fizeram com que todos tomassem conhecimento da realidade no país. O governo iraniano proibiu a imprensa estrangeira de trabalhar.

domingo, 14 de junho de 2009

Fim do analógico

Terminaram na sexta-feira, 12/06, as transmissões da TV analógica nos Estados Unidos. Segundo dados da Nielsen, empresa que mede audiência de emissoras norte-americanas, cerca de 3 milhões de lares ficarão sem sinal de televisão. O número corresponde a quantidade de aparelhos que ainda não possuem conversores. De acordo com a empresa, os moradores da área rural e a população de renda mais baixa serão os mais afetados com o fim da transmissão.
A medida estava programada para janeiro de 2009, no entanto, o número de residências que ficariam sem sinal de TV na época era ainda maior, totalizando cerca de 5 milhões. Para acelerar o processo, o governo dos Estados Unidos passou a distribuir cupons no valor de US$40,00 para a população trocar em lojas e adquirir conversores digitais. No país, aparelhos de conversão mais simples custam aproximadamente US$50,00.
Informações do Wall Street Journal apontam que o fim da transmissão analógica gera interesse nas empresas de TV paga que acreditam que a falta de sinal pode fazer com que consumidores optem por pacotes de TV por assinatura.
O texto é do site do Olhar Digital

segunda-feira, 8 de junho de 2009

I Seminário de Qualidade em Comunicação

Hoje e amanhã está sendo realizado o I Qualicom, Seminário de Qualidade em Comunicação. O evento vai apresentar propostas e estudos sobre a avaliação de qualidade de produtos jornalísticos e audiovisuais. Hoje foram discutidos vários temas de interesse da categoria, entre eles: obrigatoriedade do diploma, necessidade do estágio, qualidade nos cursos de Comunicação Social. O debate foi muito bom. Amanhã tem mais!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Perguntar não ofende

Por que muitos profissionais da imprensa não perguntam direito, recebem respostas erradas e tudo fica por isso mesmo? Quem ouve não entende nada!
Reportagem da semana passada sobre a reclamação de alguns passageiros em relação aos ônibus:
Mulher no ponto de ônibus e eis que pergunta o radialista: .. já tem muito tempo que a senhora espera pela licitação do transporte público aqui, minha senhora?
-Meu filho, tem mais de 45 minutos e não chega!!!!

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Comentário de Grace Melo


Querida Rosângela, veja como são as coisas... antes, quando um estudante comunicava à família ou amigos que iria ser professor, era rechaçado, tinha sua decisão posta em dúvida, recebia logo o bombardeio: -Professor? Vai passar fome... Agora acho que esta máxima deve servir não aos professores, mas a nós jornalistas. Pelo que ví ontem na TV, um professor com nível médio em Sergipe não poderá ganhar menos de 1.085,00 reais, ou seja, mais que um jornalista. que dirá um professor com nível superior e pós-graduado? Coisa que, para o jornalista, não faz muita diferença pois, a maioria dos patrões não dá a mínima para titulos: o que querem é pagar menos.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

VAMOS PROTESTAR DIA 01 DE JUNHO!!!!!!

Jornalistas vão às ruas contra a criminalização da categoria I
Na próxima segunda-feira, dia 1º de junho, comemora-se no Brasil o Dia da Imprensa. Mas, nesta data, os jornalistas sergipanos não irão comemorar, mas sim, protestar. É conhecida a perseguição a jornalistas em Sergipe e é extensa a lista de profissionais da imprensa local processados pelo exercício da profissão, a exemplo de Cláudio Nunes, Luis Eduardo Costa, Cássia Santana, Rita Oliveira, Cristian Góes, e tantos outros profissionais que hoje se vêem às voltas com processos movidos por figurões da sociedade e grupos empresariais que, muitas vezes, pedem indenizações que chegam facilmente à cifra de milhares de reais.

Jornalistas vão às ruas contra a criminalização da categoria II
Nessa conjuntura, onde a liberdade de imprensa esta em cheque, o 1º de junho será um dia de protesto. Em Aracaju, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe, com apoio da Central Única dos Trabalhadores, estará promovendo um ato público na Praça Fausto Cardoso, próximo ao Tribunal de Justiça do Estado, às 15h00, para chamar a atenção da sociedade sobre a questão e levantar algumas outras bandeiras: Defesa da liberdade de expressão; Contra a criminalização dos jornalistas e demais profissionais de imprensa; Pela democratização dos meios de comunicação; · Defesa da formação em nível superior (diploma) para jornalista. “Não temos muito a comemorar, porque sabemos que muitos profissionais e a própria imprensa hoje vivem a mercê do que chamo de judicialização da censura, ou seja, o uso de ações no Poder Judiciário para impedir e censurar o trabalho de muitos colegas jornalistas”, afirma o presidente do Sindijor, George Washington.

Jornalistas vão às ruas contra a criminalização da categoria III
“Neste sentido, queremos chamar os colegas profissionais de imprensa, principalmente os jornalistas processados por suas atividades; os movimentos sociais; os estudantes e professores de Jornalismo da UFS e Unit; e toda a sociedade a participarem desse ato, que reputo de grande significado, porque imprensa livre, com jornalistas livres e com formação superior, e mais democracia no acesso à comunicação são vitais para a manutenção de uma sociedade democrática”, diz Washington. Ainda na segunda-feira, o presidente do Sindijor participará, na Câmara de Vereadores de Aracaju, às 9h00, de sessão especial em homenagem ao Dia da Imprensa. A iniciativa é do vereador e líder do prefeito Elber Batalha Filho, PSB

O texto não é meu. Recebi por email.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Colaboração de Armando Maynard sobre postagem de Rafael Maynard / PEC reeleição de Lula

O deputado Jackson Barreto (PMDB-SE) protocolou nesta quinta-feira,28.05.09, na Câmara dos Deputados, uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que viabilizaria um terceiro mandato para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A PEC de Jackson Barreto possui cerca de 190 assinaturas. O mínimo para que uma emenda constitucional comece a tramitar pelo parlamento são 171 assinaturas. É caros Rafael e Rosângela, "quem foi naninha". Será que o Rafael é meu parente? Um abraço, Armando.